História Ipeúna

Localizada em meio a verdes morros e vales, Ipeúna foi emancipada em 1965, tendo Moacir Silva Bueno, como o primeiro prefeito da cidade. Atualmente, o município soma uma população de 7.546(1) moradores, com uma economia baseada na produção de cana-de-açúcar, agricultura, pecuária, turismo, além de abrigar um polo industrial com grande potencial de expansão. Em 2015, o município foi declarado Capital da Agricultura Natural.

O turismo de aventura, ecoturismo e geoturismo são as nossas maiores potencialidades, contando com trilhas, parque ecológico, cachoeiras, observação de aves, cavernas e mirantes. Além destes atrativos, existe também a opção do turismo cultural, com o museu municipal, ruínas e antigos casarões que contam a história do município. Diversos artefatos arqueológicos e rochas fossilíferas são encontradas por aqui, fazendo com que a cidade seja frequentemente visitada por cientistas e pesquisadores. É uma ótima opção para fugir do estresse da cidade, desfrutar das belezas do interior e do contato com a natureza!

Uma das principais empresas do município é a Korin Agricultura Natural, que produz e comercializa alimentos de origem natural e orgânica, priorizando a saúde de produtores e consumidores, a preservação do meio ambiente e a responsabilidade social. O trabalho desenvolvido pela Korin no local é tão relevante que em dezembro de 2015, o município foi declarado a Capital da Agricultura Natural, por meio da Lei  nº 1.228/2015.

Aspectos Gerais

  • População: 7.546 habitantes, dados do IBGE de 1º de julho de 2019.
  • Área do Município: 207 km²
  • Localização: Região Centro Oeste do Estado de São Paulo
  • Municípios limítrofes: Charqueada, Itirapina, Piracicaba, Rio Claro e São Pedro
  • Distância da Capital: 198 km

O início do povoado

A história de Ipeúna remonta ao ano de 1890, quando Vicente Barbosa, considerado o fundador da mesma, doou uma área de seis alqueires de terras, na região conhecida como Santa Cruz da Invernada, local onde se ergueu uma capela, cuja padroeira era Nossa Senhora da Conceição. Logo os interessados tomaram posse da área doada e outros compraram terras ao redor desse patrimônio, originando-se assim os primeiros sinais de uma nova comunidade.

Em 1894, o patrimônio é elevado a Distrito de Paz, cujo artigo 1º assim se expressava: “Fica criado com o nome de Santa Cruz da Boa Vista, um Distrito de Paz em Santa Cruz da Invernada”, núcleo de população do município de “São João do Rio Claro”.

Em 1897, criou-se o Distrito de Paz de Passa Cinco, gerando dessa forma a duplicidade de nome para o mesmo Distrito. O nome “Passa Cinco”, dado ao Distrito, originou-se do rio que banha a região, porque quem partisse da Cidade de São João do Rio Claro, com destino a Santa Cruz, tinha de atravessar cinco águas. A quinta e última a se transpor, ficou conhecida por Passa Cinco.

Em 1906, para dispor da duplicidade de nomes, passou a denominar-se “Ipojuca” , que significa “água suja”, situação que prevaleceu até 1944, quando mudou para “Ipeúna”, significando “ipê preto”.

 

Pontos Turísticos

Um dos principais cartões de visita e maior área de lazer do município, o Salto do Nhô Tó está localizado no Parque Ecológico Henrique Barbeta, dotado de águas límpidas que brotam a menos de 5 km. O Parque possui dois alqueires e meio de um ecossistema em perfeito equilíbrio que agrada moradores da cidade e, principalmente, turistas que buscam em Ipeúna a tranquilidade de um lugar que se preocupa em preservar seus recursos naturais. O local oferece ainda uma pequena praia de areia branca, represa para pesca, quiosques, com churrasqueira, sanitários, barracão, campo de futebol, playground.